Sérgio Adriano H


Escolhido por Deus séria Pátria ArMADA

2.000
Livro Bíblia colado e recortado
49 X 37 X 3,5


Série O Lugar que Pertenço

8.000
fotografia
80 x 120 cm | 1/10


Brasil Estados e Territórios

2.000
objeto
24 X 16 x 2 cm


que pensam da vida II

2.000
objeto-recorte
29 X 22 x 3 cm


Livro da Vida 1444

2.000
livro-objeto
25 x 31,3 x 2,5 cm | 1/1


Série Palavras Tomadas - Enciclopédia Ilustrada para Educação Básica (primária)

2.000
objeto - Livro cortado a laser com a palavra NEGROS e carimbado com a palavra Preto
28,5 X 21,5 X 2 cm


NEGROS Arte no Brasil

5.000
Objeto
29 X 25 x 4 cm


A Missão Artística Francesa – Ouro Negros

2.000
objeto/Recorte, Página do Livro Arte no Brasil
21 cm X 15 cm


Coleção Tempo de Saber – Como Funciona?

2.000
objeto de parede
27 X 20 x 2,5 cm


Pavor - Negros

10.000
instalação, 5 Livro Caldas Aulete Dicionário colado e recortado com a palavra PAVOR/NEGROS
30 cm X 250 cm x 30 cm


NEGROS - História da Imigração no Brasil

2.000
Objeto, Livro História da Imigração no Brasil com as páginas todas coladas e letras cortadas a laser de capas de livros formando a palavra NEGRO
40 X 26 X 3 cm


NEGROS/PRETOS

4.000
Objeto, díptico | Livro Grande Enciclopédia Larousse Cultural cortado a laser com a palavra NEGRO/PRETO
30 X 22 X 3 cm (cada)


Índice Grandes Personagens da Nossa História - Negros

2.000
Objeto, Livro Grandes Personagens da Nossa História colado as páginas e capa cortado a laser com palavra NEGROS, e carimbado com a palavra PRETO
25 x 31,3 x 2,5 cm | 1/1

Adriano expressa através de imagens eloquentes sua indignação contra as estratégias de poder baseadas na repetição de verdades fabricadas. Assim, através de instalações que carregam ironia, sarcasmo e humor ácido, o artista desvenda o real sentido de expressões populares, ilustrações de livros famosos e até mesmo a definição do termo “negro” que ainda hoje em nossos dicionários de língua portuguesa criam associações que descambam para o racismo.

As pesquisas atuais de Adriano se aprofundam na busca pelo seu lugar no  mundo, na cidade, na história e o entendimento do seu corpo, como a fonte das inquietações e certezas que motivam o seu fazer artístico. Seu corpo se transforma em ferramenta e a performance em poderosa linguagem, como bem mostram as fotografias e vídeos nos quais o artista coloca seu corpo em cima do pedestal abandonado num parque da cidade ou dentro da lixeira coletiva ornamental de um condomínio de luxo.

A crítica política e social presente na obra de Adriano é forjada permanentemente na experiência de campo, no contexto da vida real, na provocação alcançada pelas situações, instalações e objetos que cria justamente para incomodar e fazer pensar. Adriano expõe um trabalho que, apesar de lidar com assuntos delicados e pouco digeridos pela sociedade, provoca o desconforto necessário e suficiente para confrontar toda a hipocrisia que continuamos alimentando e naturalizando.

Curriculum

Sérgio Adriano H – Joinville SC – 1975. Artista visual, performer e pesquisador. Vive e produz em Joinville e São Paulo. Formado Artes Visuais e Mestre em Filosofia. Selecionado 2014 como um dos 30 artistas mais influentes do estado de Santa Catarina tendo sua biografia incluída no livro Construtores das Artes Visuais: Cinco Séculos de Artes em Santa Catarina. Como artista participou da Curatoría Forense Residências de Arte Contemporânea, Villa Alegre, Chile, 2014.

Premiações, destaque: Medalha Victor Meirelles – Personalidade Artes Visuais 2018, concedida pela Acla – Academia Catarinense de Letras e Artes; Aliança Francesa de Arte Contemporânea 2018Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura Estado de Santa Catarina 2019, 2017 e 2014; 3° Salão das Artes, Mogi das Cruzes – SP, 2016; 10° Salão Nacional Elke Hering, Blumenau SC 2012; 10° Salão Nacional de Arte, Itajaí SC 2005. Acervos: Museu de Santa Catarina; Museu de Itajaí; Museu de Arte de Blumenau, Sesc e privado.

Principais Livros: Antípodas – Diverso e Reverso, Bienal de Curitiba, 2017; Construtores das Artes Visuais: Cinco Séculos de Artes em Santa Catarina, 2014; Rumos – Convite à Viagem  Itaú Cultural, 2013; Fragmentos Urbanos  Udesc, 2013;

Contabiliza mais de 100 exposições, destaque:

Individual: Ressoar, Galeria Choque Cultural /14° Bienal de Curitiba, São Paulo, 2019; Índice, 14° Bienal de Curitiba  Polo SC, Fundação Badesc, Florianópolis, 2019;  Ruptura do Invisível  encanecer, Centro de Arte Hélio Oiticica, Rio de Janeiro, 2019; Tu mata Eu,  Instituto de Pesquisa e Memória Pretos Novos, Rio de Janeiro, 2019; Palavra Tomada, Galeria SESC, Joinville  Lages e Itajaí, 2019; Grito em Silêncio, Memorial Meyer Filho, Florianópolis, 2019; Projeto: Ruptura do Invisível  4 Intervenções Urbana/Instalação/Ação, Florianópolis, Joinville, Jaraguá do Sul, Blumenau, 2018; Projeto: O Visível do Invisível  10 Intervenções Urbana/Instalação/Ação,  Joinville, 2018; Projeto: A Dúvida da Verdade – Bike Galeria  31 Intervenções Urbana/Instalação/Ação, Joinville/Curitiba, 2017/8; O Visível do Invisível – Intervenção Urbana/Instalação/Ação, Museu Alfredo Andersen, Curitiba  PR, 2017; Projeto: O Visível do Invisível  30 Intervenções Urbana/Instalação/Ação em 15 cidades no estado de SC, 2016;  A Dúvida da Verdade, Fundação Badesc, Florianópolis  SC, 2015; 2° Provocações Urbanas, SESC, Itajaí  SC, 2015; Tudo, Museu de Arte Contemporânea  MAC, Joinville, 2008.

Coletivas: Fronteiras em Aberto, 14° Bienal de Curitiba, Curitiba, 2019; 8°Bienal Argentina de Fotografia Documental, Tucumano, 2018; Somos Todos Iguais, Centro Cultural de Justiça Federal, Rio de Janeiro, 2018; Bienal das Artes  SESC, Brasília, 2018; Absurdo é ter Medo  Instituto de Pesquisa e Memória Pretos Novos, Rio de Janeiro, 2018; Desterro Desaterro – arte contemporânea em Santa Catarina, Museu de Arte de Santa Catarina, Florianópolis  SC, 2018; Antípodas – Diverso e Reverso, Bienal de Curitiba, Curitiba, 2017; Diálogo Ausentes, Itaú Cultural, São Paulo – SP, 2016/17 e Complexo da Maré,  Rio de Janeiro – RJ, 2017; O céu é o limite – Museu da Gravura Cidade de Curitiba  PR, 2015;

Em 2003 com a artista Priscila dos Anjos forma o Grupo P.S. contabiliza mais de 78 exposições, destaque: Frequentar os incorporais: entre o movimento e o silêncio, Museu de Arte de Santa Catarina, Florianópolis  SC, 2019; 5° Festival Internacional de Cinema e Direitos Humanos, Montevidéu – Uruguai, 2016; Rumos Artes Visuais: Convite à Viagem, Itaú Cultural  São Paulo  SP, 2012 e Paço Imperial, Rio de Janeiro  RJ, 2013; Rumos Artes Visuais: Volta ao Mundo em 80 dias, Centro Cultural Octo Marques, Goiânia  GO, 2012; Convite projeto ARCADEMIA de Dora Longo Bahia 28ª Bienal de São Paulo  SP, 2008.