REDE CHOQUE apresenta: ​K_uz

00 - retrata artista Kuz

Crédito da fotografia: autorretrato

 

K_uz é a artista apresentada nessa semana, dentro do programa de parcerias da Rede Choque, com destaque para nossos parceiros de Florianópolis: o Armazém e Coletivo Elza. A curadora convidada para nos apresentar as artistas do Armazém e Coletivo Elza é Juliana Crispe.

 

K_uz é artista, sapatão, negra, tatuadora, filha de Oxossi. Sua produção visual trabalha a arte como expressão espiritual, um caminho que retorna e honra seus antecedentes de forma afetiva e resistente.

Carregar a corporeidade e ancestralidade em seus trabalhos, mostrar suas raízes torna-se movimento na criação de K_uz, como elemento não só de resgate e atualização, mas ação política que dá visibilidade ao povo preto que em nosso país, pelo racismo estrutural, ainda busca eliminar todos os danos que a escravidão reverbera ainda hoje.

Apos séculos de seqüestro, o racismo ainda habita o cotidiano da população afro-brasileira em múltiplas áreas. Em decorrência disso, repensar a representação, a cultura e a luta histórica dos antepassados tem sido à força de artistas negros para apagar uma história de sub-representações dos corpos na sociedade em distintas esferas.

Trazer a força do povo preto, suas religiosidades, seus corpos, rostos, desejos, é o que K_uz  faz, as matrizes negras e indígenas, os corpos racializados, periféricos para as artes é ação e ocupação de todos os espaços que desejam estar.

Se a história da sociedade negra foi apagada, a arte tem sido ferramenta política de combate ao preconceito e de empoderamento. K_uz reafirmar pela arte, pelos corpos tatuados, o saber histórico da população negra.

Na construção desses personagens, desses corpos, K_uz propõe curar através da religiosidade, das ervas, da natureza, curar pela ancestralidade, pelo afeto e pela herança. K_uz encara as feridas para curá-las e para que outras fissuras não sejam abertas, e se forem, que haja gritos coletivos para que assim, mais nenhuma voz seja calada e apagada.

 

 

01 - ere.

Erê II, 2020. Carvão sobre canson 200 g/m². A4, 21.0 X 29.7 cm

 

 

02 - Es+¦.

Esú III, 2020. Carvão sobre canson 200 g/m². A4, 21.0 X 29.7 cm

 

 

03 - heran+ºa.

Herança, 2020. Carvão sobre canson 200 g/m². 15 x 18 cm

 

 

04 - Oceano, carv+úo e aquarela, A4 2020

Oceano, 2020. Carvão, aquarela e acrílica sobre canson 200 g/m². A3, 29.7 X 42 cm Obra presente no acervo do Projeto Armazém em forma de cartaz

 

 

05 - Mar+®.

Maré, 2020. Carvão, aquarela e acrílica sobre canson 200 g/m². A3, 29.7 X 42 cm

 

 

06 - Azul

Azul, 2020. Carvão & Aquarela sobre canson 180 g/m². A3, 29.7 X 42 cm

 

 

07 - O tormento do ser que n+úo +®.

O Tormento do ser que não é, 2020. Carvão sobre canson 200 g/m². A3, 29.7 X 42 cm

 

 

08 - Florescer.

O Tormento do ser que não é, 2020. Carvão sobre canson 200 g/m². A3, 29.7 X 42 cm

 

 

09 - Quarta.

Indiferença, 2020. Carvão e acrílica sobre canson 200 g/m².

 

 

10 - Indiferen+ºa

Indiferença, 2020. Carvão e acrílica sobre canson 200 g/m². A4, 21.0 X 29.7 cm

 

 

11 - Alecrim.

Alecrim, de olhos fechados da pra ver, 2020. Fine Pen, aquarela e lápis de cor sobre Kraft 300 g/m². A4, 21.0 X 29.7 cm Obra presente no acervo do Projeto Armazém

 

 

12 - arruda.

Arruda II, proteção nunca é demais, 2020. Fine Pen, aquarela e lápis de cor sobre Kraft 300 g/m². A4, 21.0 X 29.7 cm

 

 

13 - alfavaca.

Alfavaca, 2020. Fine Pen, aquarela e lápis de cor sobre Kraft 300 g/m². A4, 21.0 X 29.7 cm

 

 

14 - Irm+úo.

Irmão I, 2020. Lápis de cor & Acrílica sobre Kraft 300 g/m². A4, 21.0 X 29.7 cm

 

 

15 - Irm+úo II.

Irmão II, 2020. Lápis de cor & Acrílica sobre Kraft 300 g/m². A4, 21.0 X 29.7 cm

 

 

K_uz, Sapatão, filha de Oxóssi, pintora e tatuadora na Zona Leste de São Paulo. Trabalha a arte como expressão espiritual, um caminho de resgate da ancestralidade afetiva e resistente.