REDE CHOQUE apresenta: Jandira Lorenz

00 - Retrato Jandira Lorenz

Retrato Jandira Lorenz

 

Jandira Lorenz é a artista apresentada nessa semana, dentro do programa de parcerias da Rede Choque, com destaque para nossos parceiros de Florianópolis: o Armazém e Coletivo Elza. A curadora convidada para nos apresentar as artistas do Armazém e Coletivo Elza é Juliana Crispe.

 

A artista Jandira Lorenz representa em seus trabalhos a relação com seu cotidiano, entre a natureza, os animais e seu lar. Ao longo de sua produção a artista constrói uma poética pessoal que dialoga com a história da arte, com suas reminiscências, atravessando também em seus trabalhos elementos do realismo fantástico, imergindo universos enigmáticos, misteriosos e introspectivos. Entre tantas linguagens que a artista trabalha, o desenho e a gravura ganham potências que auxiliam na construção de signos, símbolos e arquétipos em suas obras. Temos como referências figuras medievais, egípcias, maias, árabes, indianas, uma proliferação de tempos, elementos históricos, que se juntam em um movimento anacrônico para falar sobre realidade e fantasia, mitos e vidas que se propagam no agora, nas camadas do cotidiano da artista.

O realismo fantástico utiliza-se de elementos oníricos, distorce o tempo. Há, nas obras de Jandira, personagens imersos entre tempos e espaços, em posições de contemplação e fruição da paisagem, que nos leva aos ritmos desacelerados, a contemplação como elemento de investigação da natureza.

Jandira Lorenz tem na linguagem do desenho, desde sua infância, espaço para criação e fabulações. Em seu processo formativo, interessa-se pela escultura, gravura e outras técnicas que acompanham seu desejo de produção, porém o desenho afirma-se como um companheiro diário, como forma de pensamento e ficção sobre o mundo e as coisas. Entre o preto e o branco, o lápis e o nanquim, o bico de pena, o papel como extensão do corpo-pele, Jandira toca e grava seus pensamentos, Jandira movimenta-se em universos oníricos, entre um mundo de memórias, sonhos, historias não lineares que surgem de seu imaginário.

Deslocar o tempo, os objetos, perfurar a realidade, entre seres fantásticos, fragmentos de civilizações antigas, são ações que Jandira transporta para seus jardins, por sua paixão pela paisagem, pelos animais, pelos micros e macros da natureza, em um respeito pela vida em todas as suas esferas, desde um caramujo, uma borboleta, aos animais domésticos, gatos e cachorros. Jandira observa conchas e caramujos, respeita os ritmos das lesmas e dá passagem a elas. Olha para os detalhes com encantamento que permite transmutar para arte seu olhar e subjetividade.

Sua vinda a Florianópolis, nos meados dos anos 70, lugar em que reside até hoje, aproximou o contato da artista com os elementos da natureza que até hoje contagiam suas obras.

Jandira é uma das artistas de referência no estado de Santa Catarina, artista de importância impar na produção artística, contribui para o fazer artístico do estado, formando diversos artistas que por ela passam no campo universitário.

Seu universo poético reflete espiritualidade e transcende o cotidiano.

 

 

01 - desenho Jandira Lorenz.

Sem título, 2012, grafite sobre papel, 64 x 43 cm.

 

 

02 - desenho.

Sem título, 2011, nanquim sobre papel, 64,5 x 47,7 cm

 

 

03 - desenho.

Sem título, 2008, grafite sobre papel, 60 x 39 cm.

 

 

04 - Jandira Lorenz desenho.

Sem título, 2009, nanquim e pastel sobre papel, 66,7 x 47,6 cm.

 

 

05 - Jandira Lorenz desenho.

Sem título, 1986, nanquim e aguada sobre papel, 65 x 42 cm.

 

 

06 - Jandira Lorenz desenho.

Sem título, 2008, grafite sobre papel, 37 x 25 cm.

 

 

07 - Jandira Lorenz desenho.

Sem título, 1995, nanquim e aguada sobre papel, 43 x 65,6 cm

 

 

08 - Jandira Lorenz desenho.

Sem título, 2009, nanquim sobre papel, 39 x 59,5 cm.

 

 

09 - Jandira Lorenz desenho.

Sem título, 2012, nanquim sobre papel, 43,6 x 64,5 cm.

 

 

10 - Jandira Lorenz desenho.

Sem título, 2005, nanquim sobre papel, 39 x 60 cm.

 

 

11 - Jandira Lorenz desenho.

Sem título, 1982, nanquim e bico-de-pena sobre papel, 43 x 62 cm

 

 

12 - Jandira Lorenz desenho.

Homenagem a Dürer, 2015, grafite sobre papel, 35,5 x 52 cm.

 

 

13 - Jandira Lorenz desenho.

Sem título, 2020, grafite sobre papel, 65 x 50 cm.

 

 

14 - Jandira Lorenz desenho.

Sem título, 2020, nanquim sobre papel, 65 x 50 cm.

 

 

15 - Jandira Lorenz gravura em metal

Ceia de Monstros, 1975. Água-forte, 37,5 x 26 cm. Tiragem: P.A. Obra presente no acervo do Projeto Armazém

 

 

16 - Jandira Lorenz serigrafia 44x32.

Sem título, 1992. Serigrafia, 44×32 cm. Tiragem 36/50. Obra presente no acervo do Projeto Armazém

 

 

Jandira Lorenz nasceu em Dom Feliciano, no interior do Rio Grande do Sul, numa aldeia de origem polonesa, em 05 de marco de 1947. 

Em 1966 e 1967 estudou arte no curso de Belas Artes, na UFRGS, no Rio Grande do Sul. Entre 1968 e 1971 estudou na Fundação Armando Álvares Penteado, FAAP, em São Paulo.

Em 1975 conclui mestrado na Escola de Comunição e Artes, na Universidade de São Paulo, ECA-USP.

Jandira inicia sua carreira como professora universitária em 1976, quando se muda para Florianópolis, Santa Catarina. Construindo sua carreira profissional como pesquisadora, artista e professora, começa a lecionar História da Arte no Centro de artes da Universidade do Estado de Santa Catarina. Ministrou também disciplinas na área da Gravura e posteriormente assume as disciplinas de Desenho, linguagem que a artista assume como sua primeira paixão.

 

 

00A - Retrato Jandira Lorenz 2.

Retrato Jandira Lorenz